O Bouvier Bernois

 

(Berner Sennenhund, Dürrbachler)

Standard F.C.I nº 45 / 5 de Maio de 2003 / F


 

 

 

 

Origem: Suíça

 

Utilização: Originariamente cão de guarda e de condução de manadas nas quintas do cantão de Berna, hoje também cão de utilidade polivalente e cão de família.

 

Classificação F.C.I.: Grupo 2 (cães de tipo Pinscher e Schnauzer – Molossóides, cães de montanha e  de boieiro suíços e outras raças).

Secção 3 (cães de montanha e de boieiro suíços). Sem prova de trabalho.

 

Breve resumo histórico: O Bouvier Bernois é um cão de origem ancestral que, nos pré-Alpes de Berna e campos do centro do respectivo cantão era utilizado como cão de guarda, de tracção e de pastor. Chamava-se originariamente “ Dürrbachler”, nome do lugar e estalagem de Dürrbach, perto de Riggisberg, cantão de Berna, onde este boieiro tricolor de pêlo longo era especialmente conhecido. A partir de 1902, 1904 e 1907, exemplares desta raça foram apresentados em exposições caninas. Em 1907, alguns criadores da região de Berthoud (Burgdorf) decidiram promover a criação de pura raça deste boieiro autóctone, fundando o “Club Suisse du Dürrbachler”, fixando então os traços característicos da raça num primeiro standard. Numa exposição canina em Berthoud, os agricultores da região conseguiram apresentar já 107 exemplares. Desde aí, o cão, rebaptizado “Bouvier Bernois”, e a exemplo de outras raças de cães boieiros suíços, expande-se rapidamente em toda a Suíça e sul da Alemanha. Hoje o Bouvier Bernois é conhecido e apreciado em todo o mundo, graças ao seu manto tricolor com marcas e manchas bem repartidas, às suas faculdades de adaptação e às suas qualidades de cão de família.

 

Aspecto geral: cão de utilidade de pêlo longo, tricolor, potente, ágil, harmonioso, bem proporcionado com membros robustos e tamanho superior à média.

 

Proporção importante:

 

-          relação altura do garrote/comprimento do corpo = 9/10. Mais compacto que longo.

-          Idealmente a relação entre a altura ao garrote e a altura do peito é de 2:1.

 

Comportamento e carácter: bem equilibrado, atento, vigilante e sem medo nas circunstâncias do dia-a-dia, é bondoso naturalmente e fiel com os seus donos, seguro de si e pacífico com estranhos , de temperamento médio e dócil.

 

Cabeça: potente; o seu volume é harmonioso com o conjunto; não muito pesada.

 

REGIÃO CRANIANA

Crânio : de face e de perfil pouco arqueado, sulco frontal pouco marcado.

Stop : depressão crânio-facial bem marcada sem ser muito pronunciada.  

 

REGIÃO FACIAL

Trufa : preta.

Focinho: potente, direito, de comprimento médio.

Lábios: bem aplicados, pretos.

Mandíbulas/dentes : dentição completa e robusta, articulada em tesoura. Os Molares 3 (M3) não são considerados. Articulação em pinça tolerada.

Olhos: castanho escuro, em forma de amêndoa, com pálpebras que tomam bem a forma do globo ocular. Nem demasiado enterrados nas órbitas, nem proeminentes. As pálpebras caídas são um defeito.

Orelhas: de forma triangular, arredondando-se ligeiramente na sua extremidade, implantadas alto, de tamanho médio, em repouso são caídas e bem juntas à cabeça. Quando o cão está atento a parte posterior da orelha ergue-se enquanto que o bordo anterior permanece bem encostada à face.

 

Pescoço: robusto, musculado, de comprimento médio.

 

CORPO :

Linha dorsal : a partir do pescoço ela desce ligeiramente para terminar harmoniosamente no garrote; depois é direita e horizontal.

Dorso: sólido, direito e horizontal.

Rins : largos e sólidos. Vistos de cima são ligeiramente mais estreitos que o peito.

Garupa: ligeiramente arredondada.

Peito: largo e bem descido, atinge a altura do cotovelo. Peitoral bem desenvolvido. Caixa torácica tão longa quanto possível , de corte transversal redondo-oval.

Linha inferior : sobe ligeiramente desde o fundo do tórax em direcção aos membros posteriores..

 

Cauda: espessa, atingindo pelo menos o jarrete. Mantida baixa em repouso, eleva-se à altura do dorso ou um pouco mais alta quando o cão está em acção.

 

Membros : Forte ossatura.

 

Membros anteriores: de preferência afastados, vistos de frente aprumados e bem paralelos.

Ombros: Omoplatas longos, fortes e oblíquos, formando com o braço um ângulo não muito aberto, bem fixos, fortemente musculados.

Braço : longo, oblíquo.

Cotovelos : bem juntos ao corpo, aprumados.

Antebraço : robusto, direito.

Metacarpo: visto de perfil quase vertical, firmes; visto de frente em prolongamento vertical do antebraço.

Pés anteriores : curtos, arredondados, com dedos fechados e bem curvos, direitos.

 

Membros posteriores: vistos de trás paralelos e direitos e não muito fechados.

Coxa : longa, larga, potente e bem musculada.

Joelho : bem angulado.

Perna : longa e bem oblíqua.

Jarrete : bem angulado e robusto.

Metatarso : quase vertical. Os presunhos devem ser retirados, excepto nos países onde tal é proibido por lei.

Pés posteriores : um pouco menos curvos que os posteriores, direitos.

 

 

Marcha: movimento cobrindo muito terreno, fácil e regular em todo o tipo de marcha; passadas soltas e de grande amplitude com bom impulso posterior; no trote, vistos de frente ou por trás, os membros movimentam-se para diante em linha direita.

 

Manto

 

Pêlo: longo e brilhante, liso ou ligeiramente ondulado.

 

Côr : fundo de cor preta firme, com marcas cor de fogo (castanho-avermelhado escuro) nas faces, por cima dos olhos, nos quatro membros e no peito e com marcas brancas, a saber:

- marcas bem brancas na cabeça, claramente delimitadas e simétricas; lista que, em direcção à trufa, se alarga dos dois lados do chanfro para desenhar o branco no focinho;

- em largura, a lista não deverá ir até às marcas fogo por cima dos olhos, e o branco no focinho não deverá ultrapassar a comissura dos lábios;

- região branca ininterrupta e moderadamente larga no pescoço e  peito.

- procurado: pés e ponta da cauda brancos;

- tolerado: pequena mancha branca na nuca e sob a cauda.

 

Tamanho:

 

Altura ao garrote :

machos: 64 - 70 cm; tamanho ideal: 66 - 68 cm;

fêmeas: 58 - 66 cm; tamanho ideal: 60 - 63 cm.

 

Defeitos: todo o desvio ao precedente deve ser considerado como um defeito que será penalizado em função da sua gravidade.

-          comportamento pouco seguro.

-          ossatura fina.

-          posição irregular dos incisivos embora com inserção correcta.

-          falta de outros dentes para além de dois PM 1 (premolares 1); os M3 (molares 3) não considerados.

-          Manto :

- pêlo nitidamente encaracolado.

            - cores e marcas não conformes :

- ausência de branco na cabeça.

- lista muito larga e/ou branco no focinho ultrapassando nitidamente a comissura dos lábios.

- grande mancha branca na nuca ou sob a cauda (maior dimensão > 6 cm).

- manchas brancas nos anteriores que ultrapassem claramente o meio do metacarpo (botas).

- marcas na cabeça e no peito de uma assimetria desagradável.

                        - manchas ou listas pretas no branco do peito.

                        - branco maculado (manchas fortemente pigmentadas).

- cor de fundo preta tendente ao castanho ou ao vermelho.

 

 

Defeitos eliminatórios:

            - cão agressivo, medroso ou receoso.

- nariz fendido.

- prognatismo superior ou inferior, arcada incisiva desviada.

            - um ou dois olhos azuis (olho esbranquiçado).

            - entropium, ectropium.

            - cauda enrolada, cauda quebrada

            - pêlo curto ou duplo.

            - manto não tricolor.

            - outra cor de fundo do manto que não o preto.

 

            Todo o cão que apresente de forma evidente anomalias de ordem física ou comportamental será desclassificado.

 

N.B.: os machos devem ter dois testículos de aparência normal completamente descidos no escroto.