O Grand Bouvier Suisse

 

(Grosser Schweizer Sennenhund)

 

Standard FCI nº 58 de 5 de Maio de 2003

ORIGEM : Suíça

 

UTILIZAÇÃO : Originariamente cão de guarda e de tracção, hoje também cão de companhia, de protecção e de família.

 

CLASSIFICAÇÃO F.C.I. : Grupo 2 (cão de tipo Pinscher et Schauzer, Molossóides, Cães de montanha e de Boieiro Suíços e outras raças). Secção 3 (cães de montanha e de Boieiro Suíços ). Sem prova de trabalho.

 

BREVE RESUMO HISTÓRICO : Em 1908, por ocasião de uma exposição canina em Langenthal comemorativa dos 25 anos da Société Cynologique Suisse (SCS), foram apresentados ao Prof. Albert Heim dois Boieiros de Berna de pêlo curto. Este grande promotor das raças de boieiros suíços reconheceu neles os grandes mastins dos carniceiros ou grandes boieiros em vias de extinção, cujos antepassados eram largamente conhecidos em toda a Europa e eram utilizados como cães de protecção, de tracção ou boieiros. Foram reconhecidos como raça distinta pela SCS e inscritos no Livro de Origens Suíço (LOS) com o nome de “Grand Bouvier Suisse”, em 1909. O Clube Suíço do Grand Bouvier Suisse, criado em 1912, encarrega-se do controlo da criação desta raça. O standard foi publicado pela primeira vez pela FCI em 5 de Fevereiro de 1939. Hoje, este cão é também criado em outros países europeus, onde é especialmente apreciado como cão de família, devido ao seu carácter calmo e perfeitamente equilibrado.

 

ASPECTO GERAL : O Grand Bouvier Suisse é um cão tricolor robusto, dotado de uma ossatura poderosa e de uma musculatura fortemente desenvolvida. Apesar do seu tamanho e peso, é ágil, activo e possui um endurance apreciável. As características sexuais secundárias dos machos e fêmeas são bem definidas.

 

PROPORÇÕES IMPORTANTES :

-          comprimento do tronco : altura ao garrote = 10/9

-          altura do peito : altura ao garrote = 1:2

-          comprimento do crânio : comprimento do chanfro = 1/1

-          largura do crânio : largura do focinho = 2/1

 

COMPORTAMENTO E CARÁCTER : Firme, atento, vigilante e impávido nas situações do dia a dia; é gentil e muito ligado aos seus donos; cheio de segurança em relação a desconhecidos, tem um temperamento médio.

 

CABEÇA : Em harmonia com o tronco, a cabeça tem uma potência acentuada, mas sem deselegância. A cabeça dos machos é claramente mais maciça que a das fêmeas.

 

Região craniana :

- Crânio : largo e plano. O sulco médio parte da depressão crânio-facial e desaparece progressivamente no alto do crânio.

- Stop : pouco pronunciado.

 

REGIÃO FACIAL :

- Trufa : preta;

- Focinho : potente, é mais comprido que alto, e não pontiagudo, nem de perfil nem de cima. Chanfro direito.

- Lábios : pouco desenvolvidos e bem ligados, são pretos. Sem lábios pendentes.

- Mandíbula/dentes : mandíbulas potentes; dentadura completa, robusta e regular, articulada em tesoura. A falta de 2 dentes (prémolares 1 e/ou prémolares 2) é tolerada. Os M3 (molares 3) não são tidos em consideração.

- Olhos : em forma de amêndoa, de tamanho médio, nem enterrados nem salientes, de cor avelã a castanho; expressão viva e gentil. As pálpebras aderem perfeitamente à forma do globo ocular. O bordo das pálpebras é de cor escura.

- Orelhas : de tamanho médio, triangulares e inseridas bastante alto, em repouso pendem junto à face; quando o cão está atento viram para a frente. O pelo é denso em todas as suas faces.

 

Pescoço : potente e bem musculado, de preferência atarracado. Sem barbela.

 

TRONCO : a sua altura ultrapassa ligeiramente a altura ao garrote.

- Dorso : de comprimento médio, sólido e direito.

- Região lombar : larga e fortemente musculada.

- Garupa : longa e larga, inclinada e elegantemente arredondada. Nunca elevada nem descida.

- Peito : potente e largo, desce até ao nível dos cotovelos. O corte transversal da caixa torácica tem forma oval arredondado. O peito não deve ser nem plano nem em forma de tonel. A região do externo é fortemente desenvolvida.

- Abdómen e linha inferior : ventre e flancos com pouco relevo.

 

Cauda : Inserida no prolongamento harmonioso da garupa, é bastante pesada; em comprimento atinge o jarrete. Pendente em repouso, quando o cão está alerta ou em acção coloca-se mais alta com uma ligeira curvatura para o alto, mas nunca enrolada ou pousada sobre o dorso.

 

MEMBROS

MEMBROS ANTERIORES : vistos de face são direitos e paralelos e de preferência afastados.

- Ombros : omoplatas longos, potentes, oblíquos, bem aplicados e fortemente musculados; formam com os braços um ângulo não muito obtuso.

- Ante-braço : com ossatura robusta, vertical.

- Metacarpo : sólido, visto de face direito, no prolongamento do ante-braço; visto de perfil quase vertical.

 

MEMBROS POSTERIORES : vistos de trás são direito, não muito fechados. Metatarsos e pés não virados nem para dentro nem para fora. Os presunhos devem ser eliminados, excepto nos países onde a sua amputação é interdita pela lei.

- Coxas : bastante longas, largas, potentes e bem musculadas.

- Joelho : o ângulo do joelho é ligeiramente obtuso.

- Perna : Relativamente longa.

- Jarretes : sólidos, bem angulados.

 

Pés : sólidos e paralelos ao plano médio do corpo, têm dedos bem fechados e curvados. Unhas robustas.

 

Andamentos : todos os andamentos são alongadas e regulares; boa extensão dos anteriores com impulso enérgico dos posteriores; no trote, vistos de face ou de trás, os membros movem-se paralelamente ao plano médio do corpo.

 

MANTO :

Pêlo : pêlo duplo com pelo de cobertura denso de comprimento médio e sub-pêlo denso de cor tanto quanto possível cinzento escuro a negro. Pelo de cobertura curto é permitido se o sub-pêlo se mantiver.

Côr : tipicamente tricolor : fundo negro com fogo castanho-avermelhado e marcas brancas simétricas. As marcas fogo encontram-se entre o negro e as marcas brancas, nas faces, por cima dos olhos, na face interna das orelhas, nos dois lados do peito, nos quatro pés e sob a cauda. As marcas brancas estão no crânio e chanfro (lista), na garganta e peito (sem interrupção), nos pés e extremidade da cauda. Entre a lista branca e as marcas fogo por cima dos olhos deve persistir uma facha negra. Uma mancha branca na nuca e um colar branco são tolerados.

 

TAMANHO :  Altura ao garrote :

-          machos : 65 – 72 cm;

-          fêmeas : 60 – 68 cm;

 

DEFEITOS : Toda a divergência em relação ao que se estabelece deve ser considerado um defeito que será penalizado em função da sua gravidade.

- Comportamento inseguro.

- Falta de outros dentes além de dois PM 1 e/ou PM 2. Os M3 não são considerados. Articulação em pinça.

- Olhos de cor clara. Pálpebras não perfeitamente aderentes ao globo ocular.

- Manto :Sub-pêlo castanho- amarelado ou cinzento claro que transpareça. Cores ténues ou desbotadas.

- Marcas defeituosas : falta de branco na cabeça, lista demasiado larga, branco no focinho que ultrapasse claramente a comissura labial, “meias” brancas (branco que ultrapassa a altura carpo ou do tarso), marcas de uma forte assimetria. 

 

DEFEITOS ELIMINATÓRIOS

- Defeitos de carácter graves (cães medrosos ou agressivos).

- Prognatismo superior ou inferior, arcada desviada.

- Entrópio ou Ectrópio.

- Olho(s) azul(uis).

- Exemplares cujo manto não seja tricolor.

- Fundo do manto diferente de negro.

- Pelo de cobertura curto sem sub-pêlo.

- Pelo longo.

 

Nota : os machos devem ter dois testículos de aparência normal completamente descidos no escroto.